Clever Web

Blog

5 dicas de Marketing Digital para escritórios de advocacia

5 dicas de Marketing Digital para escritórios de advocacia

Por Mauro Lacerda | Dicas | 98 Views

Investir em estratégias de Marketing Digital é uma demanda cada vez mais necessária, independentemente do nicho de mercado. 

Até mesmo nos casos mais específicos, como os escritórios de advocacia e consultórios de saúde, cuidar da presença digital é uma tendência. 

A diferença é que, especialmente nessas áreas, o cuidado com a divulgação de serviços e construção da presença digital deve ser maior.

Sabe por que? Por causa dos respectivos códigos de ética que regem essas profissões. 

No caso dos advogados, o Código de Ética da OAB tem algumas diretrizes no que diz respeito às boas práticas de divulgação, enquanto no caso dos médicos, as regras ficam a cargo do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Apesar das limitações, isso não quer dizer que esses profissionais não possam usar as mídias sociais, bem como outras ferramentas do marketing digital para prospectar e fidelizar novos clientes.

Quer saber como trabalhar com com esse tipo de investimento sem desrespeitar as normas da OAB? Neste artigo, separamos 5 dicas que tornam essa tarefa possível, confira!

1. Aposte no marketing de conteúdo

De acordo com o artigo 28 do Código de Ética da OAB, os advogados podem anunciar seus serviços, desde que o tom utilizado seja informativo, ou seja, sem intenção de venda direta.

Isso quer dizer que você pode e deve aplicar as técnicas de marketing de conteúdo nos canais digitais que divulgam os serviços que você oferece.

Imagine que um escritório especializado na área de direito imobiliário recebe uma demanda para verificar se o cuidado com o preparo do solo de um determinado terreno que abriga uma indústria respeita a legislação ambiental vigente. 

Em uma abordagem com o objetivo de identificar se a prática está sendo realizada dentro das normas, pode ser que esse escritório exija a realização de uma análise química do solo em questão.

Caso o seu cliente tenha dúvidas sobre esses e outros assuntos, já pensou que o site do seu escritório de advocacia pode ser uma fonte de referências confiáveis? 

É neste contexto que a produção de conteúdo relevante ganha força e pode ser explorada para aumentar o tráfego do seu site, além de fornecer informações de qualidade para quem tem dúvidas sobre determinado assunto. 

São vantagens de trabalhar com marketing de conteúdo informativo para o blog e as redes sociais do seu escritório de advocacia:

  • Fortalecimento da posição de autoridade do escritório;
  • Aumento de tráfego no site;
  • Maior poder de atração de novos clientes;
  • Oferta de conteúdos que agregam valor aos potenciais clientes;
  • Melhorias no engajamento/relacionamento com o público.

É importante lembrar que, independentemente do nicho de atuação do advogado ser voltado às causas imobiliárias ou ao direito do consumidor (uma situação possível é a parceria entre uma empresa que vende um produto como um desengraxante biodegradável com outra), o conteúdo é uma moeda de troca.

Isto é, trabalhar com marketing de conteúdo é oferecer a solução que o cliente procura, sendo um caminho possível para atraí-lo e realçar que o seu escritório pode resolver o problema dele.

2. Estude as diretrizes do Código de Ética

Mais do que ouvir sobre as normas do Código de Ética da OAB, é preciso entender sobre como elas podem impactar as ações de marketing digital do seu escritório na prática.

Por isso, estude as diretrizes que compõem esse código na prática. A regra mais conhecida é a proibição da utilização de gatilhos mentais e técnicas de copywriting (escrita focada na venda) na linguagem dos conteúdos.

Um exemplo prático: digamos que uma empresa de festas deseja vender guardanapo papel luxo. Neste caso, não há nenhum problema em recorrer à uma divulgação que tem uma abordagem de vendas.

Já no caso da elaboração de um contrato jurídico entre empresas que fabricam e fornecem esse tipo de produto, limitar o anúncio às informações pertinentes é o caminho mais indicado.

Quer entender mais detalhes do código de ética na prática? Separamos alguns destaques, confira:

  • Os anúncios devem conter o número de inscrição do advogado na OAB;
  • É proibido produzir conteúdos de autopromoção, com cargos anteriores ou méritos;
  • Imagens e outros materiais gráficos não podem conter símbolos oficiais;
  • Valores, serviços gratuitos ou tabelas de preço não podem ser divulgados.

3. Entenda o perfil do seu cliente

Você sabe o que é persona? Na prática, esse conceito está relacionado à representação ideal do seu cliente, traduzida na personificação de uma pessoa.

Essa ferramenta pode ser construída a partir da combinação de várias metodologias, como análise de pesquisas de satisfação, realização de entrevistas, levantamento de dados oficiais, mensuração dos atendimentos realizados, entre outras.

Tudo isso serve para mapear o perfil do seu cliente e ao saber as informações relacionadas a ele, a chance de construir um posicionamento digital mais assertivo aumenta bastante.

Quanto mais informações qualificadas você tiver das personas do seu escritório e suas respectivas jornadas da etapa de compra, maior será a eficácia das estratégias que envolvem marketing de atração, marketing de conteúdo e indicadores das próprias campanhas patrocinadas em si.

Exemplo de persona: Marcos, 38 anos, trabalha como gerente de compras de uma indústria e no momento precisa adquirir abrasivos industriais com o melhor custo-benefício. Teme parcerias inseguras.

Neste caso, o ideal para a persona é encontrar um advogado especialista em direito do consumidor, certo?

Isso só demonstra o quanto o perfil detalhado de possíveis clientes é importante para trabalhar com as melhores estratégias para converter esse público por meio de conteúdos que agregam valor à sua jornada.

4. Trabalhe com marketing de atração

Vale reforçar mais uma vez que o conteúdo está em alta. Mas, você sabia que existem diversas abordagens para produção e divulgação das informações relevantes?

As técnicas de inbound marketing ou marketing de atração, por exemplo, consistem na produção de conteúdos especializados que se relacionam com a etapa do cliente e sua respectiva jornada de compra no momento.

São formas de aplicar essa estratégia:

  • Trabalhar com a oferta de conteúdos ricos como e-books e infográficos;
  • Oferecer assuntos relevantes;
  • Atrair o cliente pela qualidade dos conteúdos;
  • Propor a solução que o público precisa, no momento exato.

Uma situação que poderia se encaixar nessa estratégia: a produção de uma série de conteúdos que envolvem o direito do consumidor em várias situações.

Imagine o caso de uma pessoa que acaba de comprar um veículo usado e de repente tem algum problema com o processo de transferência que exige ações como o decalque do chassi.

Para que esse motorista não apresente problemas com órgãos oficiais, como o Conselho Nacional de Trânsito, cabe uma orientação jurídica de como proceder, certo?

No contexto em questão, advogados que possuem experiência na causa tem a possibilidade de oferecer conteúdos relevantes para atrair esse perfil e na etapa de conversão, promover uma consultoria gratuita sobre o caso ou propor um agendamento de conversa é uma estratégia.

A mesma linha de pensamento é útil para pessoas jurídicas (especialmente as indústrias) que compram ou alugam maquinários como o transportador helicoidal para suprir as demandas logísticas da rotina.

Como essa empresa precisa assegurar seus direitos em relação à locação, informações de qualidade sobre contratos de locação podem ser uma isca digital interessante.

Neste contexto, é importante frisar as etapas que compõem a estratégia de inbound e utilizá-las como um norte para elaboração das ações de marketing digital. 

Além da fase de atração, é preciso pensar em como converter, como encantar e de fato levar o potencial cliente a praticar uma ação desejada.

Por isso, conhecer a persona do seu escritório de advocacia é o primeiro passo para montar um planejamento estratégico que funciona.

5. Invista em técnicas de SEO

Se por um lado, investir em anúncios e ações com um caráter mais comercial é uma proibição clara quando a proposta é construir a identidade digital dos advogados, por outro, existem estratégias orgânicas para atrair as pessoas.

Imagine que uma das personas do escritório é um fabricante de dispositivos que são utilizados na indústria como o termo anemômetro

Sem dúvidas, tanto a empresa que fabrica esses acessórios quanto os consumidores finais precisam se assegurar que não haja nenhum problema na transação comercial. 

É neste ponto que procurar um advogado para saber como fazer isso na prática é uma possibilidade. 

E onde esses potenciais clientes podem encontrar os advogados, além das indicações de conhecidos? O Google é uma boa alternativa!

Por esse motivo, compensa investir em assuntos que não sejam só relevantes, mas também otimizados e que sejam ranqueados no maior buscador do mundo. 

As técnicas de SEO basicamente fazem referência aos mecanismos de busca. Existem vários detalhes que levam às boas práticas. 

Uma delas é utilizar ferramentas do próprio Google para entender o que as pessoas estão procurando na internet e assim, buscar termos e palavras-chaves relacionadas ao assunto.

Se uma pessoa que trabalha na indústria busca sobre a garantia de um bico aspersor, por exemplo, é provável que ela vá digitar algo nesse sentido e as ferramentas podem te dar um panorama maior dessa busca. 

Você deve aproveitar essas pesquisas para trabalhar nos conteúdos que oferece à sua persona e, assim, pode gerar mais tráfego na internet.

Esperamos que você consiga usar essas dicas para alavancar o marketing digital do seu escritório!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.