Clever Web

Blog

A importância de deixar o seu site mais responsivo

A importância de deixar o seu site mais responsivo

Por Mauro Lacerda | SEO – Otimização | 95 Views

Pensar e desenvolver um site responsivo abre grandes oportunidades para as empresas, inclusive para um posicionamento mais eficaz diante o público, algo crucial para a credibilidade das marcas.

Isso se deve ao fato de que as plataformas responsivas viabilizam o acesso a partir de diferentes dispositivos, o que amplia o poder de alcance aos conteúdos e permite uma presença diferenciada no dia a dia dos clientes em potencial ou consumidores.

Por exemplo, ao acessar seu smartphone, um promoter de festa decide procurar por empresas que atuam com a confecção de flyers e pulseiras personalizadas. 

Ao clicar em algum link, caso não se trate de um site responsivo, dificuldades poderão ser enfrentadas na navegação e consequentemente, na obtenção de informações, o que afasta o cliente em potencial.

Dessa forma, pode-se perceber que um design responsivo está essencialmente relacionado com a experiência do usuário, que deve ser sempre priorizada em prol da conquista de mais consumidores, diálogos assertivos e uma presença positiva da empresa no mercado.

Ainda mais, o consumo por intermédio de dispositivos móveis está cada vez mais difundido, o que acomete todas as áreas do mercado desde setores que produzem itens como enceradeira industrial até cosméticos.

Neste meio, muitas aplicações podem ter a mesma proposta em prol de otimização das plataformas e, por isso, é interessante que sempre exista o alinhamento entre os objetivos da empresa e o tipo de público que é atendido.

O que interfere na experiência do usuário?

O modo de consumo tem grande impacto nas estratégias incorporadas pelas marcas e, certamente, nos conceitos que são cada vez mais explorados. É o caso da experiência do usuário ao se tratar da internet.

Afinal, deve-se considerar que as pessoas, de um modo geral, procuram caminhos que proporcionem cada vez maior praticidade para o dia a dia.

Por esse motivo, com a popularização de dispositivos dos mais variados tipos, páginas não responsivas possuem um grande potencial na perda de espaço ao se tratar de visibilidade, inclusive para os buscadores.

Os mecanismos de busca prezam pela experiência dos usuários e, por esse motivo, um dos diversos fatores de posicionamento é a implantação de páginas responsivas.

É interessante citar que diversos fatores associados com a experiência do usuário podem servir como base de características de plataformas agradáveis, por exemplo:

Usabilidade

Um dos principais pontos ao se tratar de uma boa experiência do usuário é a usabilidade, que está essencialmente relacionada com a funcionalidade apresentada pela plataforma, ou seja, a eficiência proporcionada no uso.

Como exemplificação, pode-se citar um consultório odontológico que apresenta um blog vinculado ao site da empresa com conteúdos diversos da área, como dicas de preservação da saúde bucal, o que é prótese dentária flexível, entre outras possibilidades.

Ao prezar pela usabilidade, naturalmente, serão analisados a facilidade para identificar as categorias da plataforma, o consumo de conteúdo sem grande necessidade de zoom, imagens de qualidade e outros fatores que serão abordados a seguir. 

Estética

Sem dúvidas, a estética muitas vezes é colocada como um dos principais pontos a serem atendidos e, de fato, possui um grande impacto para a experiência do usuário.

Sendo assim, é preciso que exista um equilíbrio entre esse e os demais aspectos que envolvem as páginas responsivas. A atratividade da interface deve ser alinhada com a identidade da empresa, o que pode causar um impacto positivo no primeiro acesso.

É algo que tem relação principalmente com os itens ocultos, que não são necessários para dispositivos móveis, assim como as medidas empregadas e os pontos de interrupção.

No caso dos pontos de interrupção, são elementos aplicados para que o layout seja alterado conforme a resolução, por exemplo, uma plataforma em um smartphone pode apresentar uma coluna, enquanto no notebook conta com três.

Conteúdo

Um recurso cada vez mais explorado para a atração de consumidores em potencial realmente qualificados, o conteúdo é indispensável para a experiência dos visitantes.

Como exemplificação, pode-se apresentar uma empresa que comercializa equipamentos de climatização e entre as opções de conteúdo que podem ser elaborados estão os tipos de aparelhos, o conserto de ar condicionado e a importância da manutenção.

Por essa razão, pode-se dizer que o atendimento das necessidade da audiência é uma das prioridades de maior destaque ao se tratar da produção estratégica de conteúdo.

Organização de dados

Além dessas questões, há necessidade de abordar que cada informação deve ser devidamente organizada nas plataformas, sendo essa também uma oportunidade para estratégias.

Por exemplo, uma marca que atua com higienização de sofá pode pensar nas informações de forma que o portfólio receba grande visibilidade na página.

É uma maneira não só de evitar o comprometimento da atratividade e facilidade de navegação, como também de potencializar as chances de conversão.

De certa forma, é possível analisar que todos os pontos estão ligados e os pilares da experiência do usuário podem ser facilmente empregados ao abordar páginas responsivas. Todavia, manter o equilíbrio é decisivo para evitar grandes transtornos e códigos complexos.

A distinção entre site adaptativo e responsivo

É interessante que os profissionais tenham clareza sobre a divergência de páginas responsivas e adaptativas para evitar confusões, uma vez que podem ser facilmente classificadas erroneamente como a mesma tática.

De certa forma, são abordagens complementares e a forma de implementar cada uma depende essencialmente do tipo de conteúdo da corporação, assim como os objetivos.

As duas alternativas são cruciais para facilitar a experiência dos usuários em plataformas variadas de acesso, porém, enquanto o adaptativo abrange essencialmente as medidas específicas, o responsivo envolve o conteúdo por inteiro contando com alterações de estilos.

Por esse motivo, a flexibilidade é amplamente atrelada a opção responsiva, uma vez que todo o design é otimizado, inclusive itens variados podem ser ocultados para tornar a navegação ainda mais prática nos dispositivos móveis.

Já na outra opção, a adaptabilidade viabiliza o trabalho com base em códigos e layouts elaborados para desktop. Dessa forma, as alterações são realizadas sem envolver determinados elementos estáticos, o que pode tornar a produção mais ágil.

Não há uma regra a ser seguida, mas uma das possibilidades é que o responsivo seja empregado em projetos novos. Por exemplo, uma empresa que realiza pintura externa de casas que deseja tornar o site mais acessível e possui o projeto de sua página pronto, pode optar pelo adaptável.

Dicas para um site responsivo de sucesso

Diante a um mercado diverso e com inovações constantes, há algumas dicas gerais que podem ser adotadas em prol de melhores resultados para as páginas responsivas, por exemplo:

Garanta a legibilidade

Basicamente, a legibilidade está associada com a facilidade para ler os conteúdos e, naturalmente, é preciso considerar que em telas menores o desafio pode ser mais significativo.

Dessa maneira, é interessante que os textos sejam colocados em medidas que favoreçam a leitura, alinhada a estética e harmonia com os demais elementos, o que também pode estar relacionado com a escolha da fonte.

A respeito deste aspecto, é válido citar que escolher diversas fontes pode fazer com que a página demore um tempo superior para carregar, tendo assim um impacto negativo na experiência do usuário.

De qualquer forma, o que pode contribuir nesse aspecto no geral, é busca por referências, em especial, para compreender que a necessidade de dar zoom a todo momento pode ser um grande incômodo para os leitores.

Monitore o tráfego

Antes e depois da aplicação de um site responsivo, é imprescindível garantir o monitoramento do tráfego, inclusive em relação aos dados associados a origem de acesso, como tipo de dispositivo, região, faixa etária e sistema operacional.

Além disso, avaliar métricas como visitas únicas e visitas no site também pode ser significativo para identificar o tipo de desempenho das páginas responsivas.

Por exemplo, uma empresa que atua com a comercialização de secador de ar comprimido para o meio industrial, pode aplicar esses dois fatores não só para obter o total de visitas em diferentes períodos, como também identificar a taxa de retorno.

Evite muitos efeitos

Há chances de testar determinadas alternativas, por exemplo, se uma empresa que oferece laudo de transferência, um serviço de grande visibilidade na área veicular, nota que a aplicação de efeitos está associada com a queda do tempo de permanência da página ou conversões, pode ser necessário repensar a respeito.

Assim como no caso das fontes, dependendo dos recursos aplicados a página pode demorar muito tempo para carregar e é preciso ter muita cautela com esse fator.

Independente do segmento do site, é indispensável que um profissional especializado esteja a frente do projeto de desenvolvimento, pois conforme abordado ao longo do texto, há uma série de recursos que exigem atenção.

Além disso, pode-se observar que hoje em dia é preciso ir muito além da presença digital e que um site responsivo pode ter um impacto significativo para os usuários, o que consequentemente, contribui com a percepção da marca.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Receber uma proposta
Baixe o briefing, preencha e envie para: contato@cleverweb.com.br