Clever Web

Blog

Como desenvolver um briefing assertivo e coerente com a sua estratégia

Como desenvolver um briefing assertivo e coerente com a sua estratégia

Por Mauro Lacerda | Dicas | 254 Views

Do inglês, briefing significa resumo ou melhor, um conjunto de informações que servem para ajudar no desenvolvimento de um trabalho. 

Na prática, esse conceito é praticamente a ‘bíblia’ de redatores, designers e outros profissionais de criação que precisam fazer uma entrega assertiva para o cliente.

Esse documento é fundamental para desenhar os objetivos do cliente. É uma espécie de guia, com todos os pontos importantes para cumprir e orientações do que deve ser feito no trabalho para a entrega ter a qualidade desejada.

Todo trabalho criativo corre o risco de precisar de ajustes ou alterações, mas acredite: briefings bem definidos evitam obstáculos na hora da produção e, sem dúvidas, são uma mão na roda para os profissionais se adequarem aos objetivos da empresa.

Imagine que seu cliente se trata de uma empresa de operações logísticas focadas em frete e viagens feitas com caminhão. 

É natural que você tenha que produzir conteúdos sobre assuntos relevantes às particularidades da área, como o uso obrigatório do certificado de tacógrafo — um item que monitora a velocidade, a distância e outras informações sobre as viagens.

Mas como adequar o tom de voz? Com quem falar sobre o tacógrafo? Qual o objetivo do conteúdo? Todas essas orientações devem ser claras, por isso que existe a necessidade de desenvolver um documento como o briefing.

Quer saber mais sobre como ter sucesso na hora de elaborar este documento e qual é a importância da assertividade para sua estratégia? Você está no artigo certo.

Nas próximas linhas, vamos abordar algumas dicas que podem te ajudar a aprimorar essa prática e quais são as vantagens dessa ação!

Definição dos objetivos é fundamental

Todo manual ou guia de orientações tem uma função: mostrar os objetivos da estratégia de forma clara e orientar o caminho para que todas as demandas sejam cumpridas de forma minuciosa.

Falar sobre assuntos técnicos, como a importância do laudo veicular preço para motoristas que planejam vender um automóvel e, consequentemente, fazer uma transferência legal é um  exemplo de objetivo geral.

No entanto, quanto mais detalhes as orientações para a produção de conteúdos nesse contexto, melhor será a demarcação dos objetivos. 

Produzir uma cartilha para departamentos de trânsito sobre a documentação dos veículos tem uma diretriz diferente, bem como uma persona, uma linguagem e outras especificações gráficas, por exemplo.

Se o conteúdo em questão faz parte de uma série de artigos ou de um e-book de uma empresa que deseja ter mais autoridade no ramo automotivo, os objetivos podem mudar. 

A ideia nasce de um objetivo. Portanto, não tem como produzir um conteúdo assertivo e direcionado para alguma finalidade (conquistar ranqueamento no Google é um exemplo de objetivo) sem que o briefing tenha ações concretas para alcançar esse caminho.

Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, o propósito dos briefing não é engessar o trabalho do criativo, mas sim fornecer as melhores diretrizes para que o trabalho cumpra sua finalidade.

Persona, linguagem e formato são importantes

Agora que você sabe mais sobre a importância de definir um objetivo, como alinhar um acordo claro para que sua equipe consiga cumprir as metas que levam a ele?

Para que a situação fique mais clara, vamos utilizar uma empresa de limpeza de colchão a seco e estofados como exemplo. 

Qual o público que essa empresa atende? Como ela conversa com seus consumidores e quais são os formatos mais interessantes para explicar o passo a passo desse tipo de higienização e sua funcionalidade?

Todos esses detalhes devem estar presentes na elaboração de uma estratégia eficaz - isso torna os briefings mais completos. 

Veja bem, é diferente quando um profissional tem noção que precisa se comunicar com um potencial cliente na etapa de decisão de compra ou quando o objetivo é fornecer dados relevantes para pessoas que acabaram de descobrir o produto ou serviço ofertado.

Para relembrar alguns conceitos importantes neste cenário, separamos uma explicação breve sobre os critérios apresentados no tópico. Confira:

Persona

É a representação do cliente ideal em um personagem fictício. Pode ser elaborada com base em pesquisas de mercado, entrevistas com clientes, base de dados e insights das equipes que possuem contato com o cliente.

Exemplo: Joana, 32 anos, usa a internet como fonte de informação e faz compras online, é executiva de uma grande empresa e domina as técnicas de negociação, bem como possui alto conhecimento técnico sobre limpeza.

Tom de voz/linguagem

É a forma como a marca se comunica. O tom pode ser mais sério, técnico ou mais despojado. 

Tudo deve ser adequado ao posicionamento da empresa, ao segmento, ao público e, claro, às estratégias de branding.

Formato

Existem diversos materiais criativos no marketing digital. Folders, posts para redes sociais, e-books, artigos, vídeos, etc. 

O briefing deve conter o formato indicado, o número de palavras, as orientações das informações que devem ser transmitidas, palavras-chave e outros detalhes.

Referências são importantes

Para produzir briefings completos, fazer uma análise dos materiais da concorrência não é má ideia. 

Digamos que você atende um escritório de arquitetura que trabalha com projeto de sala comercial e outras especificações semelhantes. 

Que tal dar uma pesquisada nas principais referências? Além de dar exemplos práticos para a equipe de produção, trazer referências torna seu escopo de trabalho mais assertivo pelos seguintes motivos:

  • Reforça os objetivos do projeto;
  • Fornece uma noção do panorama geral para a equipe;
  • É uma forma de tornar as orientações mais palpáveis;
  • É uma oportunidade para explorar os diferenciais do projeto;
  • Torna a proposta mais coerente e clara;
  • Auxilia nas dúvidas da equipe criativa.

As referências são uma boa estratégia para que seu produto fique coerente, claro e objetivo. Ao trabalhar com um projeto, existem etapas e cada uma tem uma orientação, certo?

No caso de projetos comerciais, existe a proposta da marca, o perfil da empresa e gosto pessoal, seja na montagem de divisórias, na decoração ou na estruturação geral de um espaço.

Com referências de qualidade, você incentiva a sua equipe a buscar inspiração e trabalhar em um produto superior em relação à concorrência.

Atenção para os prazos

Além dos objetivos, das referências e do escopo do trabalho, é fundamental especificar os prazos em um briefing.

A entrega pode ser feita em etapas ou você pode combinar um prazo final, bem como um tempo para os ajustes necessários ou eventuais reuniões durante a produção. 

Colocar uma data para a entrega de um projeto é algo que torna o trabalho mais real, então, isso pode evitar a protelação de tarefas.

Imagine os benefícios dessa disciplina em projetos mais técnicos como um guia completo sobre a instalação de DPS em condomínios e empresas. 

A sigla DPS, significa dispositivos contra surtos, ou seja, são componentes instalados por meio de um aterramento que serve para proteger a rede elétrica interna de uma edificação.

Os surtos são choques, sobrecargas e danificação de equipamentos. Certamente, a elaboração assertiva e coerente desse tipo de estratégia depende de etapas, como: 

  • Pesquisa qualificada;
  • Entrevista com profissionais que possuem conhecimento técnico;
  • Redação; 
  • Revisão; 
  • Diagramação;
  • Publicação;
  • Divulgação.

Para explicar a importância dos DPS ou de acessórios como o contator tripolar, é importante ter rigor nos prazos.  

O acessório em questão ajuda no controle de cargas e diferentes tensões, além de entender as informações técnicas, a equipe de marketing precisa transformá-las de forma acessível para a persona da empresa, ou seja, prazos são importantes.

Quais são as vantagens de um briefing detalhado?

Se você chegou até aqui é porque acredita nas vantagens que os briefings bem estruturados podem trazer para sua estratégia, certo?

A transmissão de uma mensagem clara, com objetivos bem definidos e a busca por resultados a partir de estudos e pesquisas é a principal vantagem de elaborar um briefing completo.

Quando esse documento contém falhas de informação, ausência de referências e a proposta não é clara, a equipe criativa terá dificuldades na entrega, que pode não suprir a expectativa do cliente.

Não importa se o material é um folder sobre mezanino de ferro ou um e-book denso sobre arquitetura e decoração.  

É preciso enriquecer a proposta de detalhes para que a equipe consiga entender o que seu cliente deseja e acredita: o cliente é o que mais importa no processo.

Existem várias formas de aprimorar a elaboração dos briefings e conversar abertamente com seus clientes, explicando como cada estratégia pode render bons insights. 

O fato é que quanto mais detalhado for o documento, mais assertivo será o processo e menor a chance de erros.

A qualidade da entrega está muito relacionada com a riqueza do briefing, então, alinhe as intenções, tire dúvidas e sempre melhore o andamento da ação.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.