Clever Web

Blog

Saiba como fazer Marketing Jurídico de acordo com o Código de Ética da OAB

Saiba como fazer Marketing Jurídico de acordo com o Código de Ética da OAB

Por Mauro Lacerda | Marketing Digital | 46 Views

Você sabe quais são as particularidades do marketing jurídico? Além do segmento ser mais específico, no caso, o direito, existem algumas regras que o Código de Ética da OAB recomenda para implementar estratégias relacionadas à divulgação dos serviços.

Isso não é exclusividade somente do ramo dos advogados, já que outras profissões como a dos médicos, cirurgiões plásticos e dentistas também precisam se atentar às recomendações éticas, para não violar nenhum princípio.

De acordo com o código de ética e disciplina, instituído pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, a publicidade profissional da área deve ter finalidade informativa. 

Ou seja, não tem como divulgar serviços para captar mais clientes ou mercantilizar a profissão de forma escancarada.

A partir dessa premissa, pode ser um desafio imaginar campanhas de marketing para a área jurídica. 

No entanto, é possível trabalhar a autoridade do profissional e outras estratégias de divulgação, sem ferir esses requisitos.

Quer saber como é possível fazer isso? Leia esse artigo, pois nos próximos tópicos vamos abordar algumas dicas e exemplos de como elaborar as estratégias na prática!

Código de Ética da OAB: o que você precisa saber

Existem várias especificações previstas no código de ética. O capítulo nomeado como “da publicidade profissional”, é claro ao destacar que a divulgação sobre os serviços do advogado deve ter uma proposta informativa, e não de venda ou autopromoção.

Ou seja, utilizar mecanismos como anúncios patrocinados e gatilhos mentais que trazem,  de alguma forma, o objetivo da venda não é algo que pode ser explorado dessa forma. 

No entanto, o código não proíbe necessariamente a divulgação das informações - isso é um ponto positivo para o departamento de marketing.

Como isso é possível, afinal? Se pararmos para pensar nos princípios do inbound marketing, que também é conhecido como marketing de atração, ou nas estratégias de marketing de conteúdo, essa é uma resposta possível.

Um exemplo: uma empresa de pintura predial pode sentir a necessidade de buscar o auxílio jurídico em algum momento para elaborar contratos de prestação de serviços em caráter de terceirização.

Neste caso, não existe problema do escritório de advocacia fornecer uma consultoria ou disponibilizar informações online, seja em um artigo de blog ou um e-book repleto de conteúdos válidos. 

O que se caracteriza como uma violação é uma abordagem antiética. 

Digamos que o advogado que pode responder essas dúvidas é convidado para participar de um programa de TV ou rádio, e no meio da programação faz um merchandising — técnica de propaganda — para divulgar seus serviços. Isso  sim é considerado uma violação!

O mesmo raciocínio vale para outras situações, como um consumidor que deseja saber mais sobre seus direitos na hora de contratar um serviço de manutenção residencial ou comercial como a raspagem de assoalho ou limpeza de fachada.  

Dúvidas jurídicas são comuns, a questão é saber como trabalhar com elas, com foco informativo.

Separamos os principais tópicos do código de ética para te ajudar nesta tarefa, confira abaixo:

  • Valores de serviços, com tabelas ou anúncios são restritos;
  • Conteúdos de autopromoção são descartados;
  • Advogados são proibidos de utilizar cargos ou méritos para divulgar serviços;
  • Anúncios devem mencionar a inscrição da OAB;
  • A mercantilização da profissão não é permitida.

Agora que você sabe um pouco mais sobre as restrições, aprenda a utilizar o código ao seu favor na hora de trazer informações para o público. Veja as dicas dos tópicos seguintes!

Trabalhe com marketing de conteúdo

Não é por acaso que alguns autores definem o conteúdo relevante como uma moeda de troca do século XXI. 

Um dos principais objetivos do conteúdo é agregar valor à vida das pessoas, com informações de qualidade.

A partir desse conceito, trabalhar com estratégias que lidam com o marketing, a promoção de bons materiais, como e-books, artigos e infográficos é algo que pode alavancar sua estratégia de marketing na área jurídica, sem ferir os princípios éticos.

Veja bem, a comunicação é um direito humano, assim como o universo jurídico trata de uma série de direitos e deveres das pessoas. 

Quando o responsável pelo departamento de compra de uma indústria alimentícia adquire itens como lava louça industrial, ou decide contratar uma empresa de higienização, é natural que ele solicite nota fiscal, garantia de fabricação e tenha outras dúvidas que podem envolver o departamento jurídico.

Se você tem um escritório de advocacia, saiba que é possível adaptar o conceito de funil de vendas, não com o objetivo de promover uma venda agressiva, mas sim, com a proposta de fornecer informações adequadas à etapa que seu público-alvo se encontra.

Na etapa de aprendizado e descoberta, é possível imaginar um consumidor que teve um problema com a contratação de um serviço ou comprou um detector de gases portatil que não atendia o que ele precisava e, de alguma forma, foi lesado na hora da garantia.

Qual é uma atitude comum nestes casos? Procurar os direitos. Portanto, é natural que essa pessoa faça uma busca de advogados que entendem dessa causa para ter uma orientação mais clara sobre o que é possível fazer ou não.

Se o seu escritório lida com conteúdos relevantes que correspondam a tirar dúvidas sobre o assunto, saiba que a chance do seu trabalho se tornar uma base de informações confiáveis para essa pessoa existe. 

Isso não significa que seu escritório trabalha com autopromoção, mas sim, oferece uma solução para o consumidor que precisa resolver um problema.

Outra situação: uma empresa que precisa fazer um contrato para formalizar o conserto de rodas de liga leve e outros elementos. 

A elaboração de um contrato de prestação de serviços é feita por uma pessoa com conhecimentos jurídicos. Quando a empresa não conta com essa pessoa, procurar um advogado é uma alternativa.

Artigos sobre o assunto, infográficos e informações gratuitas são bem-vindas para agregar valor a essa empresa. 

O marketing de conteúdo é uma estratégia que pode trazer vários benefícios para o ramo jurídico, tais como:

  • O conteúdo informativo é a essência da estratégia;
  • Informações que agregam valor, também conferem autoridade ao escritório;
  • É uma forma de atrair pessoas com dúvidas jurídicas;
  • Melhora o posicionamento do escritório de advocacia na internet;
  • Possibilita um reconhecimento no nicho de atuação;
  • Não é uma estratégia de venda direta, mas sim de atração.

Por que fazer marketing jurídico?

As normas e premissas éticas podem causar dúvidas na cabeça de quem deseja lidar com marketing neste segmento.

No entanto, é inegável que o mundo online mudou as perspectivas de negócio, assim, as pessoas recorrem aos seus smartphones e notebooks para procurar informação de qualidade, recomendações e orientações claras.

Portanto, trabalhar com marketing na área do direito é desburocratizar o acesso às informações, seja a responsabilidade de um fabricante de solda exotérmica que fornece o equipamento para indústrias, ou uma dúvida mais simples que envolve conhecimento técnico da área.

A primeira vantagem em oferecer informações de qualidade, é, sem dúvidas, prestar um serviço público e ajudar as pessoas a resolverem seus questionamentos. Com essa ação, seu escritório pode ficar conhecido  e fortalecer a imagem de autoridade no assunto.
Neste contexto, conquistar negócios e clientes é uma consequência e acredite: você não precisa violar nenhuma regra ou anunciar os serviços jurídicos como se estivesse em uma feira de valores para demonstrar a qualidade do seu trabalho.

Esse princípio é válido não só para a área jurídica como também para outros segmentos, como um comércio que vende itens residenciais, tais como cortina rolô blackout para escritórios, mesas, cadeiras, entre outros

A alma do negócio está em mostrar o propósito pelo qual você trabalha. Qual solução que o seu escritório/empresa é capaz de oferecer para as pessoas? 

Ao trabalhar com conteúdo relevante, você conquista autoridade, demonstra conhecimento e ajuda a descomplicar uma série de decisões.

Trabalhar com marketing de posicionamento no meio jurídico vai muito além de ter uma fachada bonita de escritório ou apostar na impressão adesivo para distribuir aos clientes.

Antes de tudo, entenda as mudanças do mercado e as novas demandas do público que, hoje, já consegue buscar fontes de informações diversas e avalia com muito mais cautela questões como reputação, credibilidade, acessibilidade e transparência do advogado.

Além da divulgação, o marketing é um pilar que fortalece o relacionamento entre clientes e advogados, sendo assim, essa ligação é muito importante para que o trabalho ocorra de forma efetiva, já que na defesa de uma determinada causa, um precisa do outro.

O mundo online encurta fronteiras e o marketing jurídico é uma forma de encontrar pessoas em diferentes locais que precisam dos serviços de um advogado. Pense nisso!

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.